Menu fechado

O que é o Estresse do Cuidador na Doença de Alzheimer?

Buscando uma definição, temos que o Estresse do Cuidador na Doença de Alzheimer (ECDA), é um estado de desgaste psicológico e físico perpetuado pelo cuidado de uma pessoa com a demência. Ele instala-se quando as demandas – as tarefas do cotidiano e sua carga afetiva – sobrepõem as capacidades de resiliência do cuidador.
O ECDA por si só diminui significativamente a qualidade de vida, gera inquietude, desencadeia emoções e sentimentos negativos. Além disso, ele piora muito a capacidade de exercer as tarefas relacionadas ao cuidado de uma pessoa com Alzheimer.
Quem dele sofre passa a experimentar menos paciência e flexibilidade mental, capacidades tão necessárias no cuidado de pessoas com as dificuldades de compreensão e de organizar seus pensamentos, como são as portadoras de demência.
O ECDA também leva à maior instabilidade emocional, que tem na irritabilidade um sinal de alerta importante. Dentro da cabeça do cuidador, os espaços podem ser ocupados por emoções muitas vezes negativas, assim como a baixa autoestima. Essa situação limita a possibilidade que as emoções chamadas de positivas se instalar e ajudar a enxergar alternativas e até mesmo todo o valor do que está se fazendo, o quanto se está cuidando bem, fazendo o possível. Fica fácil, infelizmente, associarmos esse quadro a um terreno fértil para o adoecimento.
Além do impacto direto na saúde de quem cuida e dele sofre, o ECDA afeta também a pessoa idosa que é cuidada. Pesquisas comprovam que esses idosos apresentam mais alterações psicológicas e comportamentais devido ao estado do cuidador.
Atualmente, a abordagem do Estresse do Cuidador na Doença de Alzheimer faz parte do que chamo de cuidado ideal. Quando se busca um atendimento amplo, com qualidade, o cuidador jamais pode ser deixado de lado.

Post relacionado

1 Comentário

  1. Antônio Dória Lucas de Oliveira

    Dr. Cuido de minha mãe há um ano e oito meses, dentro das características que o dr cita, e eu me identifico é o sono irregular, e um pouco de irritabilidade quando vou para minha casa, pois passo a semana em POA e no findi retorno a Estância Velha onde moro com minha esposa. Sempre lendo e escutando os post do dr eu vou me corrigindo tanto aos meus sintomas, quanto aos cuidados da mãe. Ante isso estou muito grato ao dr. Abraço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.